Como nos tornamos número um no transporte de eletroeletrônicos

Em 2017 fomos eleitos número um no transporte de eletroeletrônicos pela TOP do Transporte

Alfa-Transportes-Top-Do-Transporte-2017-Eletroeletrônicos

Não por acaso e sim por um trabalho em equipe e muita dedicação ao longo das ultimas três décadas. Estima-se que a indústria brasileira de eletroeletrônico reúne cerca de 4.000 empresas, sendo 80% delas de pequeno porte com menos de 100 colaboradores.

Trata-se de um setor de capital intensivo gerando cerca de 180 mil empregos diretos, tendo atingido em 2011 um faturamento de 80 bilhões de dólares, representando cerca de 3,5% do PIB brasileiro (ABINEE, 2012).

Para vencer os desafios das estradas brasileiras transportando com segurança sofisticados equipamentos pesados e sensíveis, dispomos de veículos modernos, suspensão a ar, rastreamento via Satélite e seguro contra sinistros.

Desta forma, asseguramos a integridade das cargas de grandes clientes para toda a área de atendimento.

Cargas de Eletroeletrônicos transportadas.

  • Computadores, notebooks, impressoras, celulares, televisores, copiadoras e suprimentos, geladeira, fogão, microondas, móveis, Centrais de ar condicionado, etc…

Logística no transporte de componentes eletrônicos

Os custos logísticos no Brasil corresponde  a 11,5% do PIB, enquanto em outros países como nos Estados Unidos representam 8,7%, de acordo com o estudo “Panorama ILOS Custos Logísticos no Brasil – 2014”.

Os gastos com logística somam 8,7% da receita líquida (custos com transporte, estoque e armazenagem) em ambientes empresariais.

Diariamente, percebemos o impacto do transporte de insumos nos resultados da indústria. Alguns componentes eletrônicos  exigem perícia, conhecimento e cuidados especiais dos profissionais envolvidos no transporte.

A equipe responsável pelo deslocamento precisa atuar integrada com os demais agentes da cadeia de suprimentos.

Isso significa que a informação gerada no planejamento e análise de custos da modalidade de transporte precisa chegar até os responsáveis pela entrega dos componentes na fábrica, e mais do que isso, deve ser visualizada por todos.

Correto armazenamento

  • Espaço físico adequado: a principal dificuldade enfrentada pelas empresas que decidem internalizar a logística de armazenamento, diz respeito ao local escolhido para armazenar componentes.

O primeiro ponto a ser levado em conta é o tamanho do espaço físico em si. Será que a empresa tem espaço para guardar todas as caixas? Elas poderão ficar em condições adequadas?

Alguns componentes, por exemplo, são frágeis e precisam obedecer um número máximo de caixas em cada pilha, ou correm o risco de serem danificados. Outros aspectos que precisam ser levados em conta ao armazenar componentes são a temperatura e umidade.

A maioria dos componentes precisam estar acondicionados em condições muito específicas, pois podem oxidar ou proporcionarem a delaminação do item durante a produção.

O resultado de ambas as situações citadas é o prejuízo e grandes transtornos, já que novos componentes precisarão ser importados, além da possibilidade atrasos na produção e ainda mais perdas financeiras.

  • Contrate uma empresa especializada: Quando a opção é por não assumir toda a responsabilidade, mas sim terceirizar o trabalho, tudo se torna mais simples. A terceirização completa permite que se tenha todas as condições adequadas para armazenar componentes.

A empresa deve estar apta também a fazer a gestão para evitar perdas. Apesar disso, é comum que, ao orçar a compra de componentes não se pense no custo total de aquisição que envolve toda a logística de importação, transporte e armazenagem.

Colocando na ponta do lápis, no final das contas, quem observa as vantagens vê que vale mais à pena deixar essa tarefa para empresas especializadas.

Solicite sua cotação online
By | 2018-01-29T08:30:17+00:00 janeiro 26th, 2018|logística, notícias, transportadora, transportes|